Demain, tout commence

Demain, tout commence 
Classificação IMDB – 7,4
2016
Samuel é típico beau gosse lá para os lados de Marseille. Não sabe lidar com responsabilidades e vive sem limites, levando a sua patroa à exaustão.Certo dia, recebe a visita de Kristin. Kristin traz consigo Gloria, e revela a Samuel que esta é sua filha. Ele não quer acreditar, e Kristin entrega-lhe a menina. Desamparado, Samuel pensa ser uma brincadeira até ver Kristin a apanhar um táxi e partir. Começa aqui toda uma aventura.

Samuel segue Kristin até ao aeroporto e chega mesmo a apanhar um avião. Passam vários anos e Samuel deixa-lhe imensas mensagens via Facebook, mas sempre sem resposta. Até ao dia em que Kristin lhe responde e diz que querer a filha de volta.

Apesar de ser um remake do filme “No se aceptan devoluciones”, o filme é de visualização obrigatória. A dinâmica entre pai e filha não nos deixa indiferente, e a falta de jeito de Samuel leva-nos a querer tê-lo como nosso pai.
A escolha de Omar Sy para pai da pequena Gloria não podia ser melhor. É um actor completo que se deixa levar pelas emoções do momento. E a Gloria? Consegue ser uma pequena Annie versão francesa, até uma versão melhor e mais real.
Com o desenrolar da história vamos dar conta que tudo é perfeito, mas não o é, pois o fim leva-nos às lágrimas e com várias dúvidas.

Um típico filme de sábado à tarde, pois a meu ver existem algumas falhas e factos por contar. Factos esses, que a meu ver, fazem muita falta.

P.s:. É possível que vejam para lá um realizador português, um tal Ruben Alves, o da La Cage Dorée…

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*