Mon premier concert français

Vocês já perceberam que tenho um gosto musical particular. Sempre ouvi mais músicas francesas do que as ditas inglesas. Encontrar cd’s de artistas franceses em Portugal é missão impossível e a Fnac por muito que tente, tem uma oferta muito reduzida – Piaf, Joe Dassin e Dalida. Não me estou a queixar, pois são artistas que ouço e adoro, mas há mais… Sim posso encomendar, e já o fiz, mas a diferença de preços de lá para cá chega a ser de 10€. 
Percebi desde muito cedo que jamais algum artista viria cá. Esteve cá o Aznavour mas o preço do bilhete mais barato era de 80 euros. Risquei da lista. Também já veio a Carla Bruni, mas não é de todo uma artista que queria e goste de ouvir. 
A verdade é que eles veem cá gravar os seus videoclips, mas dar concertos está quieto. Sinto uma certa inveja do pessoal que vê os seus artistas favoritos e eu limito-me a dar replay no Youtube.
Há uns tempos reparei numa página – Bonsoir Lisboa – e comecei a segui-la. No mês de Fevereiro vejo “Christophe Maé” un concert exceptionnel à Lisbonne. Pensando que era um erro de imagem, dei refresh. Não era. Comecei aos gritos! Não queria acreditar. Diriji-me à Worten e pimbas bilhetes na mão.
Christophe Maé foi um dos artistas que me acompanhou na adolescência. Sempre com um estilo muito próprio e com a sua harmónica atrás, Christophe Maé também era e é um gajo muito jeitoso.
O dia do concerto chegou e mesmo assim não queria acreditar. Cheguei ao Tivoli com uns nervos. Entrei e só ouvia a língua francesa. Estava cheio. Continuei e entreguei os bilhetes. Dirigi-me ao meu lugar. Apagaram-se as luzes e foi aí que percebi. Isto está mesmo a acontecer. Cantei, dancei mas sobretudo aproveitei o momento. 2h30 foi a duração do concerto e durante esse tempo, fui aquela adolescente parva de 2007. Foi um concerto cheio de humor e o rapaz tem uma genica do caraças.
Sai de lá com um enorme sorriso e com vontade de saber quem será o próximo artista a cá vir. É que vocês não sabem, mas a página Bonsoir Lisboa tem como objectivo dar a conhecer a cultura francesa na capital. Sentiram a minha felicidade? Nunca pensei em ver um dos meus artistas favoritos em Portugal, mas sobretudo jamais pensei sentir-me francesa em Lisboa. 
P.s:. Não é que vi um famoso no meio deste concerto? 

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*