A nossa ida ao Porto – Pontos Positivos

Nada melhor que pegar nas malas e viajar, foi este o nosso mote para irmos passar um fim de semana ao Porto. A nossa ida ao Porto – Pontos Positivos é um artigo que fui escrevendo na viagem de volta e que espero que gostem.

Este ano o puto faz 18 anos e a sua irmã 30…. Sendo que estava nos nossos planos uma viagem, acabamos por escolher o Porto. Como este vírus veio para ficar e está mais que provado que 2020 é um ano para riscar nas nossas vidas. Desde o início da Pandemia que a nossa vida nunca mais foi a mesma, para termos uma boa memória de 2020, fizemos as malas e partimos ao destino.

A nossa ida ao Porto – Pontos Positivos

As pessoas

Sempre vivi em Lisboa, sempre andei de transportes em Lisboa e sei do que falo. Antes que me comecem a atacar, porque sei que vai acontecer, em apenas 24 horas o Porto mostrou-me que é possível sermos bem-educados. Mal cheguei à estação de S. Bento, o puto deu-me uma cacetada na perna e lá soltei uma grande asneira. Ora fui recebida com um “Bem-vinda ao Porto”, se fosse em Lisboa alguém estaria a olhar para mim e diria – Mal-educada. – Pessoal, é uma asneira, não uma arma letal.

Cada vez que nos sentíamos perdidos, perguntávamos às pessoas e elas lá nos ajudavam com um sorriso na cara. A senhora da recepção do Palácio da Bolsa, até nos informou quais os museus gratuitos e o que valia a pena visitar SEM LHE TERMOS PERGUNTADO! A rapariga dos souvenirs indicou-nos um bom restaurante e ainda nos ofereceu um desconto, SEM LHE TERMOS PERGUNTADO OU PEDIDO!

Senti-me como se estivesse na minha aldeia, onde todos se conheciam e que nos recebiam de braços abertos. Em Lisboa nunca senti isso, o Porto provou-me que apesar das asneiras, as pessoas são simpáticas e de bom coração.

A noite da Ribeira do Porto

Com uma bela noite de verão e acompanhados por um gelado, sentámo-nos numa explanada a apreciar a vista. Não poderíamos deixar de sair à noite, apesar do cansaço das pernas.

Para quem já conhece a Ribeira sabe que por ali se encontram vários artistas de rua, há quem faça caricaturas (Desenho na Hora), há quem engula fogo e há quem cante. Digam-me se estou enganada, mas nunca vi nada disto por Lisboa à noite.

O rapaz que nos fez a caricatura, contou-nos como foi parar ao Porto e como começou a trabalhar ali na Ribeira. Todos se conhecem e tratam-se como uma família. Gostei do ambiente e recomendo.

Segurança

Quando trabalhei no ramo de hotelaria, havia hóspedes que visitavam o Porto em 24 horas. Depois voltavam ao hotel e contavam-nos os seus passeios pela invicta. Todos diziam o mesmo- Podes deixar a tua carteira na mesa à vista, que ninguém irá mexer. – Nunca percebi o porquê, mas agora já o sei. A verdade é mesmo essa. As ruas são seguras e não avistamos carteiristas (sim o covid também ajuda, mas se eles lá andam, andam bem escondidos). Deixei os sacos espalhados e ninguém lhes tocou. Há polícias pelas ruas, como também há em Lisboa.

Cultura

Confesso que não andamos de transportes, fizemos todos os caminhos com as nossas pernas e com um bom calçado. O nosso lema era perdermo-nos na cidade, e assim foi. Apreciar cada canto. Há igrejas, há museus, há actividades espalhadas. O Porto preserva a sua história, as fachadas estão limpas, os museus têm atenção a quem lá passa. Não há alojamentos locais ao monte (Só ao pé da rua de S. Catarina é que encontrei 2 ou 3), não há tuks tuks a buzinar (encontram-se todos ao pé da Torre dos Clérigos), mas sobretudo há história.

A ponte de D. Luís I é o melhor local para se ver o pôr de sol, apesar das vertigens. É muito fácil encontrar os pontos turísticos, tal como Lisboa, o Porto tem uma organização muito própria. Deduzo que o Sr. Presidente tenha regras muito restritas no que diz respeito a AL e as trotinetes (essas nem as vi).

AH! E a senhora que diz que não se inspirou na cidade do Porto e em certos sítios para escrever a maior saga – Harry Potter – não seja mentirosa, porque quem visita o Porto sente-se em Hogwarts…

Comércio Português

Lojas com história é o projeto que Lisboa abraçou, no entanto, a pastelaria Suíça desapareceu e outras lojas que tanto gostava deram lugar a lojas de marca ou a lojas duvidosas. Encontrei mais lojas portuguesas no Porto e isso deixou-me contente. Outro facto curioso – Há lojas no centro que fecham ao domingo! Sou completamente a favor, os domingos servem para estar em família!!!

Nem me façam falar dos preços, porque os souvenirs foram uma pechincha e as refeições não foram nada caras. Tomamos o pequeno almoço na avenida dos Aliados e não chegou a 4 euros, perguntei se não se teria enganado… A resposta foi não.

A nossa ida ao Porto – Pontos Positivos – Este foi o meu balanço positivo, mas acreditem que encontrei também Pontos negativos, mas isso será para um próximo artigo 😉

2 Comentários

  1. Impossível encontrar pontos negativos no Porto 😉 ahahah
    Esta cidade é mesmo maravilhosa!

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*