Opinião | As Serviçais de Kathryn Stockett

Classificação 5 estrelas

Opinião | As Serviçais de Kathryn Stockett Conforme estava à espera, Minny continua a ser a minha personagem favorita. Eat my shit é a frase emblemática do livro – As Serviçais de Kathryn Stockett

Estamos em 1962, a história começa com Aibileen, uma empregada negra que sempre cuidou de crianças. Ela sempre foi uma mulher lutadora mas com a perda do seu filho as suas forças desvaneceram. Deixou que o sofrimento se apoderasse dela e limita-se agora a viver.

Minny é a sua melhor amiga, que nada tem a ver com ela. Com mau feitio e desbocada, Minny tem a sorte de ser uma excelente cozinheira mas a sua habilidade não a faz segurar empregos.

Quem está de volta a Jackson é Skeeter, uma jovem com 22 anos acabada de se formar em Jornalismo. Estamos nos anos 60, e uma licenciatura não traz felicidade, para a mãe de Skeeter, ela precisa de um noivo e não de um emprego.

Estamos em Jackson no Mississipi, uma localidade onde nada se passa e os pensamentos são retrógradas – segregação racial – Todos têm as suas empregadas negras, todos têm as suas regras e costumes e nada pode falhar. Os negros vivem com medo e os brancos vivem como se nada fosse.  Para Skeeter, a vida não é feita de regras, decide aceitar um emprego no jornal de Jackson e ainda têm a ideia de escrever um livro sobre as empregadas negras.  

Sabendo do enorme risco que estão a correr, Skeeter,  Aibileen e Minny vão se tornar nas melhores amigas e lutar por aquilo que acreditam – a igualdade.

Sinopse da Editoria Saída de Emergência

Este é daqueles livros que tenho pena que não seja de factos verídicos. Um tema tão sério que a autora conseguiu por muitos a gargalhar com a personagem Minny. O tema em si é pesado mas não é abordado de forma a chocar mas sim num seguimento mais romantizado. É claro que a autora não quis chocar, pois  a sua narrativa vai ao encontro de mulheres lutadoras e não de violência – As Serviçais de Kathryn Stocket

O livro foca-se muitos nestas personagens mas existem outras que também merecem destaque – Celia Foote é uma força da natureza que apesar de dar importância à sua aparência, também ela é vítima de preconceito, pois não vem de famílias abastadas e tudo o que têm provêm da sua garra. Tal como Skeeter, ela vê para além do tom de pele, ela vê  pessoas. A Hilly deve ser a personagem literária que mais vontade me dá para lhe espetar uns belos estabefes na tromba.

Os homens aqui não têm destaque nenhum, pois o papel deles é trabalhar e ganhar dinheiro. Se o livro é feminista, em parte sim. No entanto, é um livro que apoia a igualdade e que de certo modo, veio mostrar uma parte da história que os Estados Unidos deviam ter vergonha.

Este livro virou filme e entregou um Óscar a Octavia Spencer, para o papel de melhor actriz secundária – . Eat my shit é a frase emblemática do livro – As Serviçais de Kathryn Stocket. Mas fiquem a saber de uma coisa, o filme é bom mas há UM  pormenor no livro que muda a história da Constantine, e acreditem que se esse pequeno detalhe tivesse sido aproveitado, não vou dizer mais.

Um pequeno detalhe, este é o livro que mais vezes emprestei

2 Comentários

  1. Quero muito ler este livro!

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*