Posts Recentes

O que é bom é para se ver, Opiniões Cinematográficas, Relógio D'Água

“A amiga genial “ – Série Napolitana

Devido ao enorme sucesso, a história d “A amiga genial “ – Série Napolitana teve direito a uma adaptação televisiva. Quando pensei neste desafio, também pensei em rever as duas temporadas da série na HBO Portugal. Enquanto aguardamos ansiosamente por novas temporadas, tenho como objectivo fazer-vos ler a saga, mas até lá, vou explicando pouco a pouco como me apaixonei por esta história.

Em 2014 foi lançado o primeiro dos 4 livros da Saga Napolitana,  “A amiga genial” depressa conquistou leitores e atravessou fronteiras. Mantendo-se incógnita, Elena Ferrante mostrou-nos que não é preciso uma cara para vender e para se ter sucesso no mundo literário. Muitos são aqueles que ainda sonham em saber quem é a escritora, mas para mim é um doce mistério que não pretendo que seja revelado.

Ler mais
Companhia das Letras, Ler Faz Bem, Opiniões Literárias

“A vida sonhada das boas esposas” de Possidónio Cachapa

 “A vida sonhada das boas esposas” de Possidónio Cachapa encontrava-se nas estantes das novidades da Biblioteca José Saramago, e foi o nome do autor que me chamou logo à atenção. Não fazia ideia que história era, e nem sequer a sinopse li. Lancei-me à leitura às cegas, e acabei por ser surpreendida.

Esta é a história de Madalena, uma senhora que acaba de perder o marido e que agora vive o luto. Nos dias após o funeral, ela decide tomar rédeas e começar a tratar das burocracias. Mas o seu marido não era de todo perfeito. Ao que parece ele era um valente patife e os seus filhos sabiam das suas conquistas. Madalena sente-se magoada mas sente, que dedicou a sua vida a uma família que nunca a respeitou. Está na hora de conquistar e de viver como ela sempre sonhou. Faz as malas e parte para um cruzeiro, juntamente com duas amigas que conhece online. Assim ela toma a decisão de viver como quer, sem ter que se justificar a outros, nomeadamente aos seus filhos.

Sinopse da Companhia das Letras

Ler mais
Devaneios da Tim, Dicas à la Tim, Pedaços da Tim

My Guilty Pleasure – Break Up Songs

My Guilty Pleasure – Break Up Songs foi escrito antes do S. Valentim e deveria ter saído nesse mesmo dia. Não aconteceu, mas não foi por isso que iria ficar guardado na gaveta. Sou uma pessoa que não tem um excelente gosto musical, os meus amigos podem provar esse facto. Acontece que dei conta que são mais as Break Up Songs que tenho como músicas favoritas do que as que me fazem saltar de alegria. Bati de frente com a realidade, sou fanática por músicas melosas.

Mas se há coisa que podemos observar, é na quantidade de músicas que são escritas a pensar em alguém, mas a verdade é que do bem também há o mau. Vejamos o exemplo da Taylor Swift, escreve sobre o novo amor mas também escreve sobre quem lhe partiu o coração. É ver e aprender. Não nos podemos esquecer da nossa Adele! Foi à conta de um cabrão de 1ª categoria que a fez saltar para a ribalta.

My Guilty Pleasure – Break Up Songs é só um post com músicas de partir o coração mas que devem ser cantadas bem alto numa viagem de carro, acreditem que a sensação é libertadora. Se calhar sou eu que não bato muito bem da cabeça e arranjei uma maneira de escrever um artigo para encher chouriços.

Ler mais
Ler Faz Bem, Opiniões Literárias, Relógio D'Água

“História do novo nome” de Elena Ferrante

Quando terminei “História do novo nome” de Elena Ferrante comecei a pensar na difícil tarefa que teria ao escrever a minha opinião e ao gravar também o vídeo. É complicado quando temos um enorme entusiasmo e quando a história nos deixa tão envolvidas que queremos contar tudo à pessoa que está do outro lado do ecrã, sem revelar qualquer tipo de spoiler.

Tal como no primeiro volume “A amiga genial”,  a autora volta a levar-nos ao futuro, onde Lenú tem em sua posse uma caixa com cartas, cadernos e registos escritos por Lila. Lenú fez a promessa que jamais leria o conteúdo da caixa, algo que rapidamente percebemos que não o conseguiu cumprir. Pela primeira vez temos a perspectiva de Lila, sempre narrada por Elena Grecco. Neste 2º volume, a autora focou-se da juventude e na entrada da vida adulta.

Ler mais
Ler Faz Bem, Opiniões Literárias

“He Started it” de Samantha Downing

“He Started it” de Samantha Downing conta-nos a história de 3 irmãos, Eddie, Beth e Portia. Eles acabam de saber que o seu avô faleceu e deixou uma boa herança. Mas ele deixou uma condição. Para poderem ter acesso a essa mesma herança, eles terão de “refazer” a roadtrip que fizeram no passado. Quem não a fizer, será deserdado.

Esta roadtrip irá trazer aos nossos protagonistas memórias do passado e os conflitos surgem logo na primeira paragem. Para a viagem, Beth leva o seu marido (personagem mais aborrecido, sem sal nenhum e nada acrescenta à história…) e Eddie leva a sua esposa também (personagem enjoada que opina sobre tudo). Portia é uma jovem que gosta da sua liberdade e da sua independência mas que terá de ir com eles, caso queira receber a sua parte da herança.

Esta família teve muitos altos e baixos, mas a verdade está perto…

Ler mais
Ler Faz Bem, Opiniões Literárias, Relógio D'Água

“A Amiga Genial” de Elena Ferrante

“A Amiga Genial de Elena Ferrante chegou a Portugal pela Relógio D’àgua em 2014. Foram precisos 2 anos até a obra ganhar visibilidade. Fora abordado no programa “Nada será como Dante” pela RTP2 que este terá sido um típico caso em que a capa não cativou o leitor. No meu caso, foi uma entrevista que o Professor Marcelo Rebelo de Sousa, onde ele disse que levaria para as suas férias a Saga Napolitana. A primeira vez que li a obra, não sabia ao que ia, e ainda bem. Fui directa às primeiras páginas e só ao terminar o livro é que me percebi o porquê do Professor ter dito – vou levar comigo a Saga. Caí na asneira de levar comigo só o 1º livro.  

Em 2021 decidi, juntamente com a Carla Augusto criármos um Projecto | Ler Elena FerranteUm objectivo que pretendo cumprir, ainda com alguns ajustes na minha agenda. Para mim será uma releitura, mas para a Carlita será a sua primeira vez a ler Elena Ferrante.  

Mas quem é Elena Ferrante? Pouco ou nada se sabe. A autora retrata com grande detalhe a cidade de Nápoles, o que nos leva a crer que é a sua cidade natal. A autora aborda os anos 40 e 50 com algum sentimento, o que nos leva a crer que esses serão os seus anos de infância e adolescência. Mas quem é ela? Ou ele? São muitas as teorias mas poucas são as certezas. A verdade é que das poucas entrevistas que dá, e as que dá são sempre em intermédio da sua editora, Elena Ferrante quer continuar no anonimato, não só para poder continuar a escrever livremente mas sobretudo que a recepção dos seus livros não seja influência por uma imagem pública.  

Ler mais
Devaneios da Tim, Pedaços da Tim

O Musho

Um dos meus objectivos de 2020 era adoptar um gato. O Musho apareceu na minha vida quando mais precisava. No meio de tanto sofrimento ele foi e é a minha alegria.

Adoptar um gato já fazia parte dos meus planos há muito tempo, mas tomar conta de um animal de estimação requer tempo e dinheiro. Decidi que quando tivesse um trabalho fixo que iria adoptar um gato. Foi no início do ano de 2020 que anunciei cá em casa que iria concretizar o meu sonho. O meu irmão ficou radiante, pois também ele queria um gato, já a minha mãe torcia o nariz a todo custo. Mas a questão era, onde vou adoptar e como? Foi quando a Raquel me disse – A minha gata está grávida. Sabem a sensação que o cosmos se alinhou e ajudou-vos? Foi assim que me senti.  Na brincadeira até convidei a Raquel para ser a madrinha do gato e ela aceitou.

Ler mais
O que é bom é para se ver, Opiniões Cinematográficas

7 séries que podiam voltar que eu não me importava

Dei por mim a pensar nas séries que via e que com o tempo foram canceladas. Escrevi uma lista de 7 séries que podiam voltar que eu não me importava. Estarmos confinados em casa faz-nos sentir nostálgicos. Houve uma altura na minha vida, que todos os dias depois do jantar passava na tv uma série decente, chamemos-lhe a “Golden Era” da Fox Portugal. Agora, somos convidados pelas plataformas digitais (Netflix, HBO e companhia) a ver uma série completa num dia.

Sejamos honestos, evoluímos bastante e a qualidade também. Houve séries que tiveram oportunidade de voltar com episódios especiais ou até aos cinemas, algumas foram esquecidas, mas que lá no fundo gostaríamos de as ter de volta, pelo menos falo das 7 séries que podiam voltar que eu não me importava.

Ler mais
Ler Faz Bem, Opiniões Literárias

Ler os Herdeiros de Saramago

Um projecto que quero concretizar em 2021 é Ler os Herdeiros de Saramago. A ideia surgiu no seguimento da série literária da RTP. Confesso que a ideia não é de todo original e que até tenho algum receio, pois são livros fora da minha área de conforto mas que de certeza que me trarão algum conforto e quiçá algum favorito para a vida. Sem saber, através do podcast da Anatomia do Livro, descobri que o Álvaro Curia e o Ludgero Cardoso da página Litercidades também estão a fazer o mesmo projecto. Incluse até falei com eles e ficámos animados pois o que queremos é partilhar mais livros e apoiar escritores portugueses.

Em relação à série, continua disponível na Rtp Play e são no total 11 episódios, episódios esses em nos dão a conhecer os autores por detrás das obras vencedoras. Ainda não vi todos mas confesso que os poucos que vi, fiquei rendida. De todos os vencedores, confesso com alguma vergonha que só sigo o trabalho de três e que ainda só li algumas obras de João Tordo.

Ler mais
O que é bom é para se ver

Dollface

As relações dão trabalho e por vezes deixamos as amigas de lado, Dollface é a série que retrata esse tabu. Depois da sua relação ter terminado, Jules Wiley (Kat Dennings) vê-se sozinha e apercebe-se que ao longo dos anos foi perdendo a ligação com as suas amigas. Dollface é a série que veio desmitificar, ou talvez venha pôr sal na ferida, pois as verdades são ditas.

Já dizia a nossa querida Carrie Bradshaw “ And finally, the most important break up rule: no matter who broke your heart, or how long it takes to heal, you’ll never go through it without your friends”. Quando pensava que tinha uma relação para a vida toda, Jules vê-se novamente solteira e sem amigas. Numa tentativa de reconciliação, Jules tenta reatar as suas antigas amizades, mas apercebe-se que não devia ter deixado de falar nem com  a Madison (Brenda Song) nem com a Stella (Shay Mitchell).  Jules não pense que será fácil  pois terá um longo trabalho pela frente, aprender a viver sozinha e voltar aos jogos amorosos.

Ler mais