A Tim não vive sem…

A Tim não vive sem… é uma espécie de comemoração. Nunca sei como festejar o aniversário do blog|site. Quem diria que passados 13 anos, ainda teria o mesmo prazer de escrever aqui, e que a vontade de voltar seria maior que a de desistir. Houve uma altura que me perdi, confesso. Mas a escrita faz-me falta, completa-me, e sinceramente, já não sei viver seu este meu lugar virtual. A Tim não vive sem… é um artigo pessoal que nada vos acrescentará à vossa vida, mas que ficarão a saber um pouco mais sobre a minha persona.

Café | Quando trabalhava em hotelaria, perdia a conta dos cafés que tomava. Chegou uma altura que eram  5 por dia (Alguns hóspedes chamaram-me a Lorelai Gilmore portuguesa). Agora, com mais juízo e com menos stress, bebo 2 cafés sempre acompanhados com leite ou bebida vegetal. O café faz parte da minha rotina da manhã, bebo à janela e termino-o frente ao PC. É uma sensação de conforto e de energia. A Tim não vive sem… E sem ele, fico rabugenta o dia todo!

Livros | Este ponto não precisa de grande explicação. Apesar do blog ter começado com desabafos de uma adolescente de coração partido, as leituras e partilhas sempre cá estiveram. Os livros sempre fizeram parte da minha vida, confesso que ainda me lembro quando recebi o meu primeiro livro – a Anita perdeu o cão – uma prenda de anos que ainda guardo com estima. Escusado será dizer que estou sempre mas sempre acompanhada de um livro. 

Ténis | São raras as vezes que ando de saltos altos, até vos posso dizer quando foi a última vez que os calcei. Confesso que só em dias de festa ou quando o trabalho o obriga…  Não me dou bem com saltos e as minhas costas começam a doer. Ah, mas uma mulher fica sempre bem de saltos. Sim acredito, mas para mim usar os meus all star dão-me um certo conforto e sensação de conquistar o mundo. Nem vos passa pela cabeça mas ando com uma vontade danada de comprar estes.

Bâton | Este meu gosto de pintar os lábios é recente mas veio para ficar. Aprendi a dar valor a um bâton vermelho e demorei até encontrar um perfeito. Um requisito obrigatório –  Tem de ser matte. Penso que me define como mulher adulta e dá um certo mistério à minha pessoa. Tal como os ténis, quando tenho bâton sinto-me poderosa.

França | A língua francesa está muito presente na minha vida e no meu trabalho. Comecei pela música e este amor foi passando para a literatura. Sou fã assumida de Edith Piaf, Grégory Lemarchal e Big Flo et Oli.  Leio Marc Levy, Guillaume Musso e Joel Dicker. Como surgiu este fascínio, talvez tenha sido por influência da minha família… Sou só aquela miúda que mistura português e francês e todos ficam a olhar para mim (Porque quando misturam inglês é só awesome, não é?).

Escrever | Cliché eu sei, a escrita foi e será sempre o meu refúgio e confesso que mantenho um diário. Gosto de escrever sobre tudo e sobre nada, às vezes só relatar o meu dia. Gosto de escrever postais às pessoas que me são próximas e começa a ser tradição. Há quem diga que tenho jeito mas a verdade é que sonho um dia viver da minha escrita, e quem sabe, um dia não escreva um livro.

O Puto | Não vos vou mentir, eu queria uma irmã e até já tinha escolhido um nome. Mas a vida surpreendeu-me e assim nasceu o meu irmão. Fui filha única até aos 11 anos e foi a experiência mais aborrecida. Não tinha com quem partilhar os meus brinquedos e contar as minhas histórias. Já estava mentalizada que nunca iria ter irmãos. Até ao dia que  os meus pais me dizem – Vem aí um bebé. Não me esqueci da Izzie e da Raquel, sem elas a Tim não existia 😉

2 Comentários

  1. Muitos parabéns por estes 13 anos! Que idade tão bonita *-* que venham ainda mais.

    Identifico-me totalmente no que diz respeito à escrita, aos livros e ao café. Se bem que também poderia incluir os batons ahahah

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*